O que faz um assessor científico

Um assessor científico é o profissional que trabalha em um laboratório de análises clínicas e tem como função prestar assessoria científica, acompanhar o andamento dos exames laboratoriais, correlacionar resultados e assinar laudos.

Além disso, este profissional pode trabalhar juntamente a empresas relacionadas à área de biotecnologia e diagnósticos, desempenhando funções como:

  • atuar no atendimento ao cliente via telefone ou visitas com hora marcada;
  • demonstrar e divulgar os produtos oferecidos pela empresa;
  • atuar na venda de produtos e equipamentos de laboratório de análises clínicas;
  • efetuar, direta ou indiretamente, a instalação de equipamentos;
  • promover treinamentos e assessorar os colaboradores de vendas;
  • transmitir a atualização de documentação técnico-científica dos produtos;
  • pesquisar e elaborar relatórios sobre o mercado concorrente.

Caso você esteja interessado em tornar-se um profissional da área é preciso ter curso superior completo em Farmácia ou Biomedicina.  O curso de Biomedicina, por exemplo, é oferecido em muitas cidades brasileiras, e tem a duração de quatro anos. Durante o curso o aluno passa por atividades práticas em laboratórios de anatomia, em laboratórios de microscopia e análises clínicas e na coleta de material biológico.

O mercado de trabalho é específico, restringindo-se à laboratórios e empresas que vendem produtos para diagnóstico e análises clínicas. A faixa salarial para um assessor científico pode variar entre R$ 1.500,00 e R$ 3.000,00 mensais.

2 Comments

  1. Mariana Aprile

    9 de julho de 2012 às 14:03

    Vocês esqueceram de mencionar que o biólogo também é capacitado para exercer esse cargo

  2. Michel

    25 de setembro de 2014 às 21:04

    O assessor científico também pode envolver-se em atendimentos e orientações a outros colaboradores e setores da empresa. Também atua na inserção e padronização de novos exames e assessoramento científico a equipe técnica na bancada. A faixa salarial é um pouco acima do divulgado principalmente em laboratórios mais especializados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *